Líder da bancada do PSD, deputado federal Marcos Montes, usou todos os espaços de comunicação a que tem acesso – inclusive a tribuna do plenário da Câmara, para lamentar assalto praticado na madrugada de 06/11, segunda-feira, em Uberaba, no Triângulo Mineiro. Os moradores da cidade viveram horas de terror, com a quadrilha integrada por cerca de 30 criminosos agindo em várias frentes, de forma a alcançar o objetivo, que era assaltar uma empresa de valores.

Ex-prefeito de Uberaba em duas gestões, deputado majoritário na cidade e na região, Marcos Montes disse que nunca imaginou que veria sua cidade ser vítima de uma guerra de guerrilha como a que aconteceu neste 06/11.

A quadrilha cercou o Batalhão de Polícia Militar, aterrorizou a população com tiros de metralhadores e fuzis de uso exclusivo, espalhou pregos pelas ruas, incendiou veículos, e durante boa parte da manhã os ônibus de transporte coletivo deixaram de funcionar e muitas escolas não tiveram aulas.

Quero expressar meu pesar e me solidarizar com a população de Uberaba, inclusive com minha família e meus amigos, e cumprimentar as polícias pelas atitudes tomadas no calor do assalto – evitando mortes de uberabenses, inclusive de profissionais da segurança pública” – manifestou Marcos Montes.

Ele reconheceu que uma ação de guerrilha como a que foi praticada pela quadrilha em Uberaba, e que tem acontecido em várias regiões do país, é muito difícil de ser impedida.

“Mas, é uma situação que reforça a constatação de que o Brasil enfrenta uma crise de segurança pública sem precedentes; uma crise que chega ao cúmulo de os criminosos estarem mais armados do que a própria polícia; uma crise que vem se arrastando, com a União se omitindo, os estados jogando cada vez mais responsabilidade para os municípios – já abarrotados de problemas -, enquanto setores da sociedade organizada se recusam a enxergar que é preciso uma reforma radical na segurança” – desabafou.

O líder da bancada do PSD conclamou os colegas deputados a esquecerem partidos e ideologias e se aliarem em torno de uma agenda voltada para a segurança pública.

Em seu desabafo, ele disse que, infelizmente, a agenda que existe hoje, no Congresso, enfrenta resistências de parte da própria sociedade organizada.

Não tenho dúvida, por exemplo, da necessidade de reduzirmos a maioridade penal, mas, toda vez que se fala nisso o assunto provoca celeuma e pressões sobre boa parte do Parlamento”– lembrou. Desta forma, segundo ele, resta a cada deputado ou senador fazer a sua parte, mesmo que seja uma parte pequena.

PROPOSTAS

Entre outras matérias de autoria de Marcos Montes, estão tramitando atualmente, os seguintes projetos: que aumenta a pena se a violência ou ameaça é exercida com emprego de arma de uso restrito, dinamite ou explosivo em roubos; que aumenta a punição do homem que assassinar uma mulher que esteja sob medidas protetivas da lei Maria da Penha; que intensifica a punição para quem matar policiais; fixando que os bens apreendidos do tráfico sejam destinados a programas para o tratamento e recuperação de dependentes químicos.

Ao mesmo tempo ele procura destinar parte das suas emendas para o segmento, de forma a colaborar com os municípios. Exemplo disso é que destinou em 2017 quase R$ 1 milhão para a aquisição de veículos pelas polícias Civil e Militar de Uberaba e região.

Também está reivindicando ao Ministério da Justiça e Segurança Pública uma série de projetos para Uberaba e região, incluindo estrutura para a Delegacia da Mulher e para a instalação de câmeras de vigilância em pontos estratégicos.

*Deputado federal majoritário no Triângulo Mineiro e em várias cidades de outras regiões do Estado, Marcos Montes é médico, está no terceiro mandato na Câmara; é líder do Partido Social Democrático (PSD) – a 5ª maior bancada, com 38 parlamentares; fundador e presidente do partido em Uberaba; é membro e ex-presidente (2015/2016) da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA); ex-prefeito de Uberaba em duas gestões, e ex-secretário de Estado de Desenvolvimento Social e de Esportes em Minas Gerais

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here