// Palavra do Deputado

21/01/2018

Eleições 2018 ainda são incógnita para o eleitorado e os pré-candidatos

Bem-vindos – Ao longo da última semana, em contato com amigos e aliados das várias cidades da minha base política, tive a oportunidade de constatar um antagonismo surpreendente em relação às eleições de outubro de 2018. De um lado – como não é segredo pra ninguém -, a decepção com a política e os políticos de um modo geral, mas, de outro lado – por incrível que pareça! -, um interesse inédito pelo processo eleitoral deste ano.

Incógnita - O que sinto, ao visitar as cidades da base – são mais de 40 – e ouvir relatos de suas lideranças políticas e comunitárias, e da população nas ruas, é uma grande expectativa sobre o que vem por aí. A principal ansiedade diz respeito ao cargo de presidente da República (até por motivos óbvios...), e deixa mais do que evidente que nada está definido, que ainda tem muita água pra rolar e que, se as eleições fossem hoje, seu resultado seria uma tremenda incógnita.

Assunto da hora - Sou tentado a concluir que, apesar dos pesares, o povo brasileiro está sim, de olhos e ouvidos abertos para tudo o que se relaciona ao processo eleitoral de 2018, e discutindo o assunto como nunca. A menos de nove meses das eleições os debates estão acirrados, em muitos casos de forma exagerada e agressiva, mas, no geral, antecipando uma campanha extremamente participativa. As redes sociais que o digam!

Mudanças - Também sou tentado a concluir que muitas mudanças ainda vão acontecer em relação às pré-candidaturas na disputa pelo principal cargo das eleições deste ano. E isso, com certeza, terá impacto direto nas pré-candidaturas para governador. Enfim, muita incerteza ainda ronda o processo eleitoral.

O voto - E aproveito pra lembrar que a Justiça Eleitoral de Minas Gerais está funcionando nos finais de semana em Betim, Contagem, Uberaba e Uberlândia para  realizar o recadastramento biométrico obrigatório - com prazo final dia 9 de fevereiro de 2018. Reafirmo o que falei na edição anterior desta coluna: não fazer a biometria, e portanto, não votar em outubro, é perder a oportunidade de dizer o país que se deseja.

Os pré-candidatos - Conversei esta semana, por telefone, com três “presidenciáveis” - o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, do DEM/RJ, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, filiado ao meu partido, o PSD, e com o governador de São Paulo e presidente nacional do PSDB, Geraldo Alckmin, e posso garantir pra vocês: o processo eleitoral de 2018 é uma incógnita pra eles também.

Estilo mineiro - Mas tem um assunto que não provoca qualquer dúvida entre os três “presidenciáveis”. Eles sabem que Minas Gerais terá uma importância sem precedentes este ano. Mais ainda do que sempre teve. Estão de olho em tudo o que acontece no Estado e ansiosos quanto aos nomes que estarão na disputa pelo cargo de governador.

Força política - Eu disse a eles o que já havia antecipado nas visitas que Geraldo Alckmin e o ex-prefeito de Belo Horizonte e pré-candidato a governador, Márcio Lacerda, do PBS, me fizeram em Uberaba no ano passado, respectivamente dias 25 de agosto e 20 de dezembro. Afirmei que o PSD mineiro não abre mão de participar das eleições majoritárias, seja na briga pela presidência da República, seja na disputa de governador de Minas. O PSD é hoje uma das principais forças eleitorais do Brasil. Só em Minas Gerais elegeu 57 prefeitos, 49 vice-prefeitos e 460 vereadores em 2016 para o mandato 2017/2020.

Um abraço e até a semana que vem.

*Marcos Montes é deputado federal majoritário no Triângulo Mineiro e em várias cidades de outras regiões do Estado. É médico, está no terceiro mandato na Câmara; é líder do Partido Social Democrático (PSD) – a 5ª maior bancada, com 38 parlamentares; fundador e presidente do partido em Uberaba; é membro e ex-presidente (2015/2016) da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA); ex-prefeito de Uberaba em duas gestões, e ex-secretário de Estado de Desenvolvimento Social e de Esportes em Minas Gerais

IMAGENS/VISITAS – Deputado majoritário no Triângulo Mineiro e em várias cidades de outras regiões, Marcos Montes foi procurado em 2017 por Geraldo Alckmin (foto 1) e Márcio Lacerda (foto 2), nos dois casos, com o mesmo assunto: as eleições em Minas Gerais (Fotos: Marco Aurélio Ferreira Cury)